quarta-feira, 9 de abril de 2014

Prova cita Popozuda como 'pensadora'.

'Agradeço ao professor', diz Valesca Popozuda sobre questão polêmica

Professor cita Valesca Popozuda como pensadora contemporânea em prova
Funkeira agradeceu ao professor e se diz lisonjeada como 'pensadora'.

Do G1 

Valesca visita Fortaleza para divulgar a música 'Beijinho no ombro', citada em prova (Foto: Gabriela Alves/G1 Ceará) 
Valesca visita Fortaleza para divulgar a música 'Beijinho no ombro', citada em prova 
(Foto: Gabriela Alves/G1 Ceará)


A funkeira carioca Valesca Popozuda soube da polêmica envolvendo sua música em uma prova em uma escola de Brasília na noite de segunda-feira (7), em Fortaleza, onde viaja para divulgar a música Beijinho no Ombro, seu mais recente sucesso, citado na avaliação. “Agradeço ao professor Antônio por ter lembrado da Valesca Popozuda. Ele queria causar –  vi a entrevista dele hoje –, mas ele não sabia que ia causar tanto desse jeito”, diz a cantora.
Nesta terça-feira (8), Valesca Popozuda deu entrevista a várias rádios e TVs em Fortaleza, onde comentou a polêmica da sua música citada na prova. Na prova, o professor pede que os estudantes completem o trecho "se bater de frente", do hit "Beijinho no ombro". A resposta correta é opção que completa a música: "é só tiro, porrada e bomba". O professor dá aulas para as turmas de 2° e 3º anos.

Questão em prova aplicada a alunos de escola da rede pública do DF que faz referência à funkeira Valesca Popopuza (Foto: Reprodução) 
Questão em prova aplicada a alunos de escola da rede pública do DF que faz referência à funkeira Valesca Popopuza (Foto: Reprodução)
 
 
“As pessoas começaram a me marcar me [citando a repercussão da prova em redes sociais] dizendo que é legal. Quando foi ontem, depois dessa correria toda aqui em Fortaleza, fui para o quarto, fiquei escrevendo. Meu empresário me falou que estava repercutindo e que eu deveria responder”, diz a funkeira.
Depois de postar no Facebook sobre a repercussão do caso, em Fortaleza, Valesca Popozuda voltou a dizer que a polêmica é uma “besteira” e que foi causada porque a música citada na prova é um funk. "Com tanta coisa para se preocupar, acho que tinha se preocupar com a educação. Vamos gritar pela educação e o salário dos professores, que está precário. Se fosse uma MPB, nem teria essa polêmica toda”, afirma.
A cantora também afirmou que fez um vídeo em agradecimento ao professor de filosofia que elaborou a prova, Antônio Kubitschek. Ele também afirmou que o objetivo foi mesmo provocar. "Se trouxesse Chico Buarque, a prova seria considerada mais intelectual do que provocativa. É preciso criar essa proximidade com os alunos."
"Fiquei lisonjeada por dois motivos: primeiro que foi colocada a minha música em prova e depois por ter se referido a mim como pensadora, intelectual, mas falei que ainda não estou nesse patamar, ainda não sou uma grande pensadora", concluiu Valesca Popozuda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário