segunda-feira, 21 de abril de 2014

Ator japonês de 85 anos que viveu Godzilla celebra os 60 anos do filme.

Ator japonês de 85 anos que viveu Godzilla celebra os 60 anos do filme

Haruo Nakajima mostra lembranças que guarda da época do grande sucesso do filme. Estátua homenageia o monstro em praça de Tóquio.


  

Tóquio, a maior metrópole do mundo, mais de 30 milhões de pessoas. Alvo de tufões, terremotos e monstros!
Quantas vezes a cidade não foi destruída por eles? Ao longo dos anos, o cinema adorou fazer isso com a capital japonesa, usando as mais assustadoras criaturas.
Mesmo com tanta destruição o Japão tem um carinho por esses monstros. Mas um é especial, pode não ter sido o maior a passar em Tóquio, nem o mais poderoso. Mas não é qualquer cidade que lembra em praça pública o seu grande inimigo, que completa, em 2014, 60 anos: ‘Godzilla’.
Em tamanho bem menor, é verdade, a estátua reproduz o personagem que ficou famoso no mundo todo.
“Godzilla" foi lançado em 1954 e foi um sucesso. O Japão ainda se reerguia da derrota na Segunda Guerra, com as bombas atômicas. E o filme conta que um teste nuclear criou o monstro: 50 metros de altura, corpo de animal pré-histórico e poderes: um gás incendiário.
Muitos lembram da estreia. Um senhor fala da primeira vez que viu Godzilla no cinema: “Senti medo”, revela o senhor. “Quando o Godzilla apareceu, todo mundo aplaudiu”, lembra uma senhora.
"Acho que o filme fez sucesso por que ele destruía tudo, o que a gente, quando pequeno, quer fazer, mas não deixam", acredita um fã do monstro.
Os efeitos especiais eram um charme à parte, não havia tanta tecnologia na época. Por isso, tome cidade em miniatura, onde nenhum detalhe era esquecido: prédios, varandas, árvores, aviões. A cidade destruída parecia real, com os escombros feitos de gesso, madeira e papelão.
No filme, ‘Godzilla’ escolhe prédios importantes, como o do parlamento, e uma das mais famosas lojas de Tóquio, com a sua Torre do Relógio. 
O tempo passou, os prédios ainda estão de pé, e nada foi esquecido, especialmente para um homem. Com 85 anos, Haruo Nakajima mora em um apartamento pequeno, coberto de lembranças. Mas não é um simples colecionador. Ele era o Godzilla. "Eu já tinha atuado em outro filme em que meu corpo ficava em chamas. O diretor viu a cena, achou que eu era corajoso e me chamou para vestir a fantasia", conta.
Acabou abandonando a marinha japonesa, virou ator e incorporou o mostro. Segundo o senhor Nakajima, toda a fantasia pesava cerca de 100 quilos. E ele vestia por um zíper que corria nas costas.
O trabalho era difícil, mas ele aparece sorrindo em todas as fotos antigas. Era preciso dois assistentes para carregar a roupa nos intervalos da filmagem.
O senhor Nakajima calcula que, por causa das luzes do estúdio e do esforço para movimentar Godzilla, chegava a fazer 60° ali dentro! Por isso, nas cenas em que só apareciam as pernas do bicho, era com a parte de cima da roupa aberta que ele trabalhava.
Haruo Nakajima tem fãs até hoje, e roda o mundo contando as histórias dos bastidores. Diz não entender a razão de tanto sucesso. E olha que um novo filme com Godzilla vem aí, mais uma refilmagem. 
Seu Nakajima é sincero ao falar do monstro: “Meu amigo”. Uma amizade que já dura 60 anos e não se abala com cara feia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário