segunda-feira, 7 de abril de 2014

Após 15 anos sem doença, CE tem surto de sarampo.

Surto de sarampo no Ceará atinge principalmente bebês de até um ano

Mais de 40% das 125 pessoas afetadas pelo sarampo têm até um ano.
Ceará teve surto da doença após 15 anos sem registros do sarampo.

Do G1

Mais de 40% das pessoas que contraíram sarampo no Ceará neste ano têm até um ano de idade, de acordo com a Secretaria de Saúde do Estado. O Ceará registra um surto da doença após 15 anos sem casos de sarampo. Até março deste ano, foram confirmados 125 casos de sarampo. A Secretaria da Saúde deve divulgar um novo boletim na sexta-feira (11). Por causa dos casos, a Secretaria da Saúde de São Paulo emitiu uma nota alertando para que as pessoas se imunizem contra o sarampo antes de uma eventual viagem ao Ceará.
De acordo com a secretaria, bebês de até um são mais a afetados pelo surto por não serem imunizadas, pois a dose de vacina contra o sarampo é aplicada aos 12 meses de vida. A maior parte dos 125 casos ocorreu em Fortaleza, com 109 confirmações da doença.
Após o surto, Fortaleza lançou uma campanha de vacinação contra o sarampo, com postos de saúde atendendo inclusive nos fins de semana. A expectativa é imunizar 160.551 crianças só em Fortaleza. Incluindo os 14 municípios da Grande Fortaleza, a meta da Secretaria de Saúde do Estado é imunizar 246.036 crianças.
O número de casos de sarampo aumentou após o início da campanha, de 110 para 125 confirmações, mas de forma desacelerada. Na quinzena anterior ao início da campanha o número de casos subiu de 64 para 100; na quinzena em que ocorria vacinação, o número de 110 para 125.
Os casos confirmados ocorreram em Fortaleza (106 casos), Camocim (1 caso), Caucaia (1 caso), Itaitinga (1 caso), Jaguaribe (1 caso), Maranguape (1 caso), Trairi (3 casos), Tururu (2 caso) e Uruburetama (9 casos).
Os casos confirmados no Ceará apresentaram o vírus do sarampo do genótipo D8, um tipo viral que circula em países como a Inglaterra, Estados Unidos, Canadá e China, onde há uma elevada incidência da doença. No Brasil, os vizinhos estados de Pernambuco e Paraíba e os estados de São Paulo, Minas Gerais, Santa Catarina também registraram casos da doença. Segundo a Sesa, a entrada de estrangeiros facilita a transmissão entre os territórios. Desde 1999, o Ceará não registrava casos com transmissão ocorrida dentro do território.


Arte Sarampo (Foto: Editoria de Arte / G1)
 

Sarampo

O sarampo é uma doença infecto-contagiosa  transmitida por secreções das vias respiratórias como gotículas eliminadas pelo espirro ou pela tosse. O tempo entre o contágio e o aparecimento dos sintomas é de cerca de 12 dias. A transmissão pode ocorrer antes de  surgirem os sintomas e estender-se até o quarto dia depois que surgirem placas avermelhadas na pele. Doença potencialmente grave, em gestantes pode provocar aborto ou parto prematuro.
Além das manchas avermelhadas na pele, que começam no rosto e progridem em direção aos pés, outro sintomas devem ser observados como  febre, tosse, mal-estar, conjuntivite, coriza, perda do apetite e manchas brancas na parte interna das bochechas. Pneumonia e encefalite são complicações graves do sarampo. O diagnóstico do sarampo é feito por exames clínicos e, quando necessário, confirmado por exame de sangue.
Por ser uma doença autolimitada, o tratamento é sintomático e visa ao alívio dos sintomas. Paciente com sarampo deve fazer repouso, ingerir bastante líquido, comer alimentos leves, limpar os olhos com água morna e tomar antitérmicos para baixar a febre. Em alguns casos, há necessidade de tratamento para o aumento de imunidade.


Vacina

A vacina é eficaz em cerca de 97% dos casos. Deve ser aplicada em duas doses a partir do nono mês de vida da criança. Exceção feita às mulheres grávidas e aos indivíduos imunodeprimidos, adultos que não foram vacinados e não tiveram a doença na infância também devem tomar a vacina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário