sexta-feira, 28 de março de 2014

Suspeitos de crime que chocou Itaúna, MG, confessam morte de Gabriela.

Suspeitos de crime que chocou Itaúna confessam morte de Gabriela

Delagado disse que pena de prisão para cada um pode ser de 30 anos.
Vítima trabalhava na hora do crime; ela entregou dinheiro para assaltantes.

Anna Lúcia Silva Do G1

Dupla matou adolescente durante assalto em Itaúna (Foto: Fabíola de Paula/Arquivo Pessoal) 
Dupla matou adolescente durante assalto em Itaúna (Foto: Fabíola de Paula/Tv Integração)


A dupla de assaltantes, de 18  e 30 anos, que matou a adolescente Gabriela Oliveira de 16 anos em Itaúna, na última sexta-feira (21) durante um assalto a um supermercado onde ela trabalhava, deve pegar 30 anos de prisão cada. A afirmação é do delegado responsável pelo caso Wesley Amaral de Castro. Por uma questão de segurança, eles foram apresentados nesta sexta-feira (28) na sede do 7º Departamento de Polícia Civil, em Divinópolis, já que no dia que foram presos cerca de 2.500 pessoas se reuniram em forma de protesto na porta da delegacia de Itaúna.
Segundo Wesley de Castro, ambos serão indiciados por latrocínio, roubo seguido de morte. Ainda de acordo com o delegado, eles são suspeitos de outros quatro assaltos a supermercados na cidade. "Ainda estamos apurando esses crimes, mas imagens de circuito interno dos locais mostram que são os dois", informou.
Durante a apresentação, que durou cerca de 30 minutos, o delegado disse que a arma usada no crime, um revólver calibre 32, ainda não foi encontrada. A polícia acredita que os suspeitos devem ter entregado a outro criminoso.


O assalto

Segundo a Polícia Militar (PM) os suspeitos entraram no supermercado, no Bairro Padre Eustáquio, e anunciaram o assalto. Um deles, armado, abordou a vítima enquanto o outro dava cobertura na ação. Quando Gabryela entregou todo o dinheiro do caixa um deles atirou contra ela e em seguida a dupla fugiu. A vítima chegou a ser socorrida e encaminhada ao hospital da cidade, mas não resistiu aos ferimentos.


Prisão

Os criminosos foram localizados pela Polícia Civil em menos de 72 horas após o crime. De acordo com Wesley, os dois foram presos próximos às casas onde moram, no Bairro Santa Edwiges. "Como eles são conhecidos no meio policial, fomos reunindo provas que os indentificassem. Feito isso, passamos a monitorar os dois logo após o crime até a prisão", contou.
O delegado disse ainda que durante depoimento os dois confessaram o crime. Eles deram detalhes de como foi a ação, só não revelaram onde está a arma. "Eles confessaram e contaram exatamente como foi", contou Wesley.

Nenhum comentário:

Postar um comentário