sexta-feira, 28 de março de 2014

Mulheres ucranianas fazem boicote sexual à Rússia.

Mulheres ucranianas fazem boicote sexual à Rússia. Entenda qual a ligação entre sexo e política

 
Greve de sexo na Ucrania

Nesta semana, um grupo de mulheres Ucranianas se organizou no movimento “Don’t give it to a Russian!” - Não dê para russos -, contra a anexação da Crimeia à Rússia. O embargo não é apenas sexual, sugere também que não sejam mais consumidos produtos do país.
Não é a primeira vez na história que o esse tipo de greve é usada para modificar o curso das águas. Em 2002, um grupo de mulheres conseguiu participar das negociações de paz na guerra civil liberiana depois de um movimento parecido. Lideradas pela ativista liberiana Leymah Gbowee, que viria a ganhar o Prêmio Nobel da Paz, essas mulheres tiveram papel decisivo para eleições democráticas.

Sexo é prazer. E todos nós gostamos de nos sentir bem. Gostamos de chegar ao orgasmo, dormir abraçadinho depois de transar. E talvez seja justamente por isso que a gente saiba a importância e o valor que o sexo tem em diversos âmbitos da vida. Mas qual sua ligação com o poder e a política?


Segurança

Sexo é totalmente sobre segurança. Você precisa se conhecer, entender o que quer, onde quer chegar e qual o melhor caminho para isso. O poder e a política são basicamente isso. Você precisa estar seguro e saber o que quer, como quer.
Essa segurança é tirada das mulheres desde a infância. Seu sexo é sujo e vergonhoso, sua libido é um problema e ela não deve se impor, mocinhas não fazem isso. Tudo isso influencia a vida política, profissional e social muito mais do que queremos acreditar.


Desejo

Você quer uma coisa, outra pessoa quer outra e então vocês negociam a melhor maneira de todo mundo ficar feliz. Essa frase pode falar sobre sexo ou sobre política. Tudo na vida é baseado no desejo – seja ele sexual ou não. O sexo tem tanto peso porque ele influencia em todas as partes da vida, somos seremos sexuais. E sua influência não ficaria longe da política.


My pussy é o poder

Quando mulheres passam a tomar conta do seu corpo, do seu sexo, da sua libido e ignoram o slutshaming, tudo muda. Quando mulheres entendem que não são inimigas e não precisam destruir a outra, as coisas caminham. E é aí, quando as rédeas estão em nossas mãos, que nos sentimos seguras para estar em qualquer lugar do mundo.
O corpo feminino é sitiado. Ele não é das mulheres. Muitas regras e padrões regem nosso comportamento e tomar isso de volta é uma luta diária. Quantas vezes você já ouviu falar que essa ou aquela mulher que está no poder é mal comida? Quantas vezes ouviu dizer que um homem poderoso precisa transar para relaxar? Pois é, isso já diz muita coisa.


Teste do sofá

A revolução e a apropriação de poder por meio do sexo não tem nada a ver com testes do sofá. Quando você dá ao opressor o que ele quer, não está mudando nada. As coisas começam a mudar quando você nota que a palavra não pode ter muito mais poder do que a palavra sim e o baixar de cabeça.


Por uma causa

A beleza da greve de sexo está, além do objetivo, em mergulhar de cabeça no que se acredita. Você gosta de sexo, gosta de sentir prazer e não tem problemas em assumir isso, porém, abre mão de tudo isso por um bem maior: transformar realidades.
Muita gente faz promessa e para de comer chocolate ou tomar refrigerante, essas mulheres fizeram uma promessa extremamente difícil de cumprir – não fazer sexo -, mas com um objetivo muito maior do que já foi feito – cuidar do lugar em que vivem e mudar o que as incomoda.
Essa “manipulação” - no melhor sentido da palavra – serve para mudar todo tipo de realidade. Não acha o machismo certo? Não transe com machistas. Não acha preconceito certo? Não transe com preconceituosos. Acha que certos tipos de piadas não devem ser feitos? Não transe com quem as faz. Uma hora a pessoa enxerga o erro e começa a guardar a opinião só para ela e aí colocar isso para fora vai se tornando cada vez mais difícil. E se não há uma real mudança, pelo menos o ódio não está mais sendo jogado sobre as pessoas.
Ter autonomia sobre seu corpo está totalmente ligado com a força que temos para ter autonomia sobre outras transformações que buscamos. O primeiro passo é sempre o mais difícil, mas imagina só o resultado?

Nenhum comentário:

Postar um comentário