segunda-feira, 31 de março de 2014

Funcionário da Infraero é detido por assediar mulheres no aeroporto.

Funcionário da Infraero é detido por assediar mulheres no aeroporto

Suspeito ficava na escada rolante fazendo imagens sem consentimento.
Ele responderá em liberdade por importunação ostensiva ao pudor.

Do G1

Funcionárias do aeroporto se uniram para
denunciar suspeito, e registraram o assédio
(Foto: Reprodução / WhatsApp)
Funcionárias do aeroporto se uniram para denunciar suspeito, e registraram o assédio (Foto: Reprodução / Whats app) O gerente do departamento de Tecnologia da Informação (TI) do Aeroporto Internacional de Belém foi detido nesta segunda-feira (31) por fazer gravações impróprias de passageiras e funcionárias do aeroporto. Ele se posicionava na escada rolante do terminal e, com um tablet de pequeno porte, gravava imagens da calcinha das mulheres por debaixo de saias e vestidos, sem o consentimento das vítimas. Um vídeo que flagrou o assédio cometido pelo gerente foi divulgado nas redes sociais. O G1 tenta contato com o suspeito, mas ainda não localizou o gerente.
As imagens foram feitas por um grupo de funcionárias do aeroporto, e mostram o suspeito na escada rolante, logo atrás de uma mulher que usava vestido. Ele posiciona um tablet pequeno embaixo do vestido da vítima e realiza a gravação.

A detenção aconteceu após a administração do aeroporto receber denúncias do comportamento do funcionário. Com ele, foi apreendido um tablet que, segundo a polícia, continha imagens de mulheres que ele teria gravado. Segundo a Infraero, empresa pública responsável pela administração do aeroporto de Belém, será aberto um procedimento para apurar a conduta do funcionário, que é concursado.
Segundo uma funcionária do aeroporto, que pediu para não ser identificada, o comportamento do suspeito era frequente, e preocupava várias mulheres que trabalham no local. "Tem muita gente indignada com isso. Ele faz isso há muito tempo. Não sei qual é o intuito dele, se ele vende as imagens, mas ele sempre andava pelo aeroporto, procurava uma vítima, fazia a gravação e depois ia para o trabalho dele".
A Polícia Civil informou que o ato é uma contravenção penal de importunação ostensiva ao pudor, um crime de menor potencial ofensivo. Por isso, o suspeito foi detido e liberado após o registro da ocorrência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário