terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Intercalar água e carboidrato com álcool diminui efeitos da ressaca.

Intercalar água e carboidrato com álcool diminui efeitos da ressaca

Consumo de alimentos gordurosos podem trazer mais prejuízos.
Recomendação para o dia seguinte é repouso e dieta leve.

Do G1

A bebida provoca uma série de alterações no
organismo (Foto: Reprodução/EPTV)
A bebida provoca uma série de alterações no organismo (Foto: Reprodução/EPTV) Fim de ano é sempre marcado por comemorações regadas a muita comida e bebida. Para amenizar os efeitos da ressaca, para quem costuma abusar do consumo de bebidas alcoólicas, a dica é intercalar o consumo do álcool com água, alimentos ricos em carboidratos e água, e até doces – por mais que a combinação não pareça muito saborosa. A recomendação é evitar os quitutes gordurosos.

"Para amenizar os efeitos do álcool, o ideal é dilui-lo o máximo possível. Alimentos ricos em água, como frutas, são hidrossolúveis, e são mais fáceis de ser metabolizados, o que ajuda o álcool a ser eliminado mais fácil", afirma Claudio Miguel Rufino, clínico médico da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).
Relator diz que venda de bebidas nos estádios será mantida (Foto: globo news)Consumo de bebidas  (Foto: globo news)
 
Luiz Carneiro d'Albuquerque, professor de medicina da Universidade de São Paulo (USP) e hepatologista, diz que um dos problemas do consumo do álcool é a hipoglicemia (diminuição do nível de glicose no sangue), por isso o ideal é conciliá-lo com carboidratos, frutas e doces.

Ao contrário do que muita gente pensa, o consumo de comida gordurosa aliado ao álcool pode piorar os efeitos da ressaca. "A gordura faz com que o organismo leve mais tempo para metabolizar e absorver o álcool, mas não diminui seus efeitos", diz Rufino.

Comer frutas é indicado durante ingestão de
álcool e depois (Foto: Reprodução/TV Rio Sul)
Nutricionista de Resende alerta para consumo de verduras, legumes e frutas (Foto: Reprodução/TV Rio Sul) Se no dia seguinte, mal estar, dor de cabeça, náusea e dores pelo corpo persistirem, a recomendação dos médicos é de colocar em prática o combo: hidratação, repouso e dieta leve com baixa concentração de gordura. O organismo pode levar entre 12 a 18 horas para metabolizar o álcool. 
"É necessário se hidratar e ingerir glicose. A ressaca é uma gastrite alcoólica, é um sinal do estômago, não do fígado, por isso a indicação de não comer nada pesado. O fígado para apresentar sintomas precisa de um comprometimento bastante grande", afirma Rufino. Segundo ele, ao passar dos anos a pessoa fica menos tolerante ao consumo do álcool. "Com a idade todos nós temos o envelhecimento celular e o metabolismo fica mais lento."
Para o hepatologista, a ressaca é um sinal de alarme do organismo. “Repouso, cafeína ou chá e proteção gástrica com alimentação bem leve é a recomendação. Só o tempo cessa o efeito completamente. A melhor maneira de prevenir a ressaca é beber com moderação.”
O clínico Rufino explica que o consumo de álcool em doses moderadas e em períodos espaçados não deixa sequelas. O prejuízo, no entanto, pode ocorrer quando este passa a virar rotina. "O que existe de sequela é para as pessoas que têm tendência acabar desenvolvendo o uso crônico de álcool."

Nenhum comentário:

Postar um comentário