segunda-feira, 29 de julho de 2013

Caixão 'misterioso' é aberto no Reino Unido e contém mais um caixão.

Caixão 'misterioso' é aberto no Reino Unido e contém mais um caixão

Corpo foi enterrado no século 14, perto de onde depois ficou rei Ricardo III.
Cientistas acreditam que morto teria sido um frade franciscano ou cavaleiro.

Do G1

Caixão de chumbo achado dentro de caixão de pedra em Leicester deve conter frade ou cavaleiro (Foto: Universidade de Leicester) 
Caixão de chumbo achado dentro de outro caixão de pedra, maior, deve conter corpo de um frade franciscano ou de um cavaleiro medieval, acreditam arqueólogos do Reino Unido 
(Foto: Universidade de Leicester)


Um caixão de chumbo dentro de outro maior, de pedra, foi o que os arqueólogos da Universidade de Leicester, no Reino Unido, encontraram ao abrir a tampa de metal da sepultura do século 14 localizada perto do corpo do rei Ricardo III, morto no século 15 e exumado de um estacionamento da cidade em setembro de 2012.
A tampa de chumbo do caixão maior – que tem 2,12 metros de comprimento, por 30 cm de altura, por 60 cm de largura na altura da cabeça e 30 cm de largura na altura dos pés – precisou de oito pessoas para ser retirada. Ela revelou por dentro um caixão quase intacto, exceto por um buraco em uma das extremidades, por meio da qual é possível ver os pés de alguém.
Esse alguém, segundo os cientistas, poderia ser um dos chefes da Ordem Franciscana na Inglaterra (o religioso Peter Swynsfeld, que morreu em 1272, ou o frade William de Nottingham, que morreu em 1330), ou ainda um cavaleiro medieval chamado Mutton, que foi prefeito de Leicester e seria, na verdade, Sir William de Moton de Peckleton, que morreu entre 1356 e 1362.
Ainda de acordo com os estudiosos, que estão nesse novo trabalho há um mês, o sepultamento provavelmente foi de uma pessoa de grande status. Nenhuma inscrição foi vista na tampa do caixão, mas há uma cruz soldada no metal.
"Ninguém da equipe já tinha escavado um caixão de pedra intacto antes, muito menos um caixão de chumbo e, para mim, foi tão emocionante como encontrar Ricardo III", disse no blog da universidade o arqueólogo e diretor do trabalho de campo Mathew Morris.
Séculos antes de o lugar abrigar um estacionamento, funcionava no local o mosteiro de Greyfriars. Agora – com as atuais escavações e a descoberta de um pedaço de piso bem preservado, restos de cerâmica, metais, vidros e corpos humanos, que serão limpos, catalogados e analisados –, os arqueólogos têm uma ideia melhor sobre a disposição do antigo edifício (que seria uma igreja, capela ou um prédio ligado ao mosteiro) e de que forma o túmulo de Ricardo III se encaixava dentro do coro. Apesar disso, eles ainda não acharam evidências da nave principal, que parece ter sido completamente destruída.
O caixão de pedra calcária – considerado incomum, por ser o único de pedra encontrado totalmente intacto – foi desencavado na mesma época que o esqueleto de Ricardo III. Mas, como estudar o monarca era prioridade, o objeto não pôde ser avaliado antes.


Visão longitudinal do novo caixão encontrado em estacionamento (Foto: Universidade de Leicester) 
Visão longitudinal do caixão menor, de onde é possível ver os pés do morto 
(Foto: Universidade de Leicester)
 
Oito pessoas foram necessárias para remover tampa de metal do caixão maior (Foto: Universidade de Leicester) 
Oito pessoas ajudaram a remover a tampa de chumbo do caixão maior 
(Foto: Universidade de Leicester)
 
Visão geral do sítio arqueológico, localizado no subsolo de estacionamento (Foto: Universidade de Leicester) 
Visão geral do sítio arqueológico, localizado no subsolo de estacionamento 
(Foto: Universidade de Leicester)

Nenhum comentário:

Postar um comentário