domingo, 31 de março de 2013

IPI menor para carros será prorrogado até o fim do ano.

IPI menor para carros será prorrogado até o fim do ano

Decisão foi anunciada pelo ministro Guido Mantega ao Jornal Nacional.
Medida representa uma renúncia adicional de R$ 2,2 bilhões em 2013.

Do G1
 

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou neste sábado (30), em entrevista ao Jornal Nacional que o governo desistiu de elevar novamente a alíquota do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) para automóveis que aconteceria a partir de abril. 
Com isso, as alíquotas do IPI para os carros permanecem no atual patamar até o fim deste ano. Mesmo com essa decisão, o tributo ainda seguirá em um patamar acima do estava sendo cobrado no fim de 2012.
A medida, segundo o ministro da Fazenda, Guido Mantega, tem por objetivo "não haver risco de que houvesse uma queda nas vendas ao longo do ano". "A indústria automobilística é muito importante para a economia brasileira. Ela representa 25% da produção industrial. Então, para manter a produção industrial crescendo, é importante que a indústria automobilística continue crescendo", afirmou.
O governo informou ainda que busca estimular não somente o setor automotivo com a decisão, classificado como "um dos principais motores da economia", mas também "toda a cadeia automobilística, como as indústrias de autopeças, de estofamento e de acessórios".
Entre 2008 e 2010, o governo já tinha baixado o IPI para incentivar a venda de veículos e estimular a atividade durante a primeira etapa da crise financeira internacional. No ano passado, a estratégia se repetiu e agora o imposto estava retornando aos poucos ao normal.
Segundo o governo, a medida representa uma renúncia fiscal adicional (recursos que deixarão de ser arrecadados) de R$ 2,2 bilhões de abril a dezembro de 2013 em relação ao que já estava programado.
 

Alíquotas do IPI

Para carros populares (até 1.0), por exemplo, a alíquota que valeu entre janeiro e o fim do mês de março deste ano foi de 2% - e assim permanecerá até o final de 2013. No fim do ano passado, entretanto, o IPI de carros populares estava em zero. Ainda assim, o IPI está menor do que a alíquota considerada "normal" pelo governo para esta categoria de veículos, que é de 7%. Sem a decisão do governo, o IPI de carros populares subiria para 3,5% de abril a junho e a alíquota de 7% seria retomada a partir de julho.
Para carros com motores de 1.0 a 2.0 (flex), a aliquota permanecerá, portanto, em 7% até o fim deste ano - patamar que vigora atualmente. No fim do ano passado, o IPI destes carros estava em 5,5%. Se a decisão de prorrogar a atual alíquota não fosse tomada pelo governo, o IPI, nestes casos, subiria para 9% entre abril e junho e avançaria para a alíquota considerada "normal" de 11% a partir de julho deste ano.
Para carros a gasolina, 1.0 a 2.0, a alíquota permanecerá no atual patamar de 8% até o fim deste ano. Sem a decisão de prorrogar a atual alíquota, ela subiria para 10% entre abril e junho e para 13%, nível considerado "normal", a partir de julho deste ano. No fim de 2012, o IPI destes veículos estava em 6,5%.
Para utilitários, a alíquota do IPI permanecerá no atual patamar de 2% até o fim deste ano. Sem a prorrogação, o IPI subiria para 3% de abril a junho e para o patamar considerado "normal" de 8% a partir de julho deste ano. Para veículos acima de 2.000 cilindradas, a alíquota permanece inalterada em 25% para os veículos a gasolina e em 18% para os carros flex, informou o Ministério da Fazenda.

Gato ganha velório com caixão em Minas Gerais.

Gato ganha velório com caixão em Minas Gerais

Carlos Eduardo Cherem
Do UOL, em Belo Horizonte 

Patricia Aparecida Coutinho Lages 
O gato Cristiano, 13, ganhou velório em São João do Manteninha (a 432 km de Belo Horizonte), em MG 
O gato Cristiano, 13, ganhou velório em São João do Manteninha 
(a 432 km de Belo Horizonte), em MG
 
 
O gato Cristiano tinha 13 anos quando morreu, na última terça-feira (26), em São João do Manteninha (a 432 Km de Belo Horizonte), em Minas Gerais.
A adolescente Edilaine Gonçalves de Castro, 17, tinha ganhado o felino quando tinha quatro anos de idade e queria ter enterrado o animal no cemitério da cidade, mas não pôde.
A estudante procurou o destacamento da Polícia Militar local, procurando orientações. "Nós lhe explicamos que animais não podem ser enterrados no cemitério. Ela se conformou e fez o enterro em casa", disse um soldado que conversou com a jovem.
"Muita gente foi ao enterro. Realmente chamou a atenção do pessoal", afirmou ele.
Sensibilizados pela tristeza da garota, cerca de 200 moradores da cidade compareceram ao velório do bicho, seguido do enterro, realizado no quintal da casa da família, no bairro Recanto das Pedras, na quarta-feira (27).
"Foi muito triste. Muita gente, principalmente do bairro, ficou solidária com a morte do gatinho dela. Postei as fotos do velório no Facebook e já tive mais de 2.000 acessos. Muita gente também se preocupou com ela", afirmou a funcionária pública Patrícia Aparecida Coutinho Lages, que divulgou a informação do velório e do enterro de Cristiano nas redes sociais.
Segundo a amiga, o velório durou "algumas horas" e teve "até fila". A funerária da cidade preparou um caixão para Cristiano, coberto de flores brancas.

A cidade tem 5.188 habitantes e fica no leste de Minas Gerais. Cristiano morreu de velhice, segundo Patrícia. "Os dentinhos estavam muito fracos, ele estava andando pouco. Não aguentou, coitado."

A reportagem do UOL tentou falar por diversas vezes com a adolescente, mas ela não atendeu aos telefonemas.

Como se calcula a data da Páscoa?

Como se calcula a data da Páscoa?

J. Duran Machfee/Futura Press
 
Vitrine do Shopping Light, no Centro de São Paulo (SP), 
apresenta decoração de Páscoa de forma descontraída
Vitrine do Shopping Light, no Centro de São Paulo (SP), apresenta decoração de Páscoa de forma descontraída 
Quando os ovos de chocolate vão finalmente chegar ao supermercado à espera da Páscoa?

Diferentemente do Natal e de outras festas religiosas, a Páscoa muda de data a cada ano e ocorre entre 22 de março e 25 de abril. E a escolha dos dias foi definida após muita controvérsia.

A Páscoa cristã tem relação com Páscoa judaica (o Pesach).
Segundo a tradição cristã, a festa marca o dia da ressurreição de Cristo, em um domingo.

Para a tradição judaica, marca a fuga dos judeus do Egito, liderados por Moisés.

Mas por que elas não são celebradas do mesmo dia?

 

Raízes judaicas

 

Lutz Doering, professor da Universidade de Durham, no Reino Unido, diz que há registros de que, até o século 2, muitos cristãos celebravam a festa no dia 14 de Nisan do calendário judaico, mesma data do Pesach.

Doering explica que alguns grupos passaram a celebrar a Páscoa no domingo após o Pesach "porque viam a data como independente, uma nova celebração ligada exclusivamente à ressurreição de Jesus".

Convencionou-se então que a Páscoa seria celebrada no domingo após a primeira lua cheia da primavera, guiando-se pela data do equinócio.

O debate sobre a mudança foi documentado por Eusébio, historiador romando e bispo de Cesareia, que narra os encontros entre diferentes grupos que queiram fazer prevalecer sua posição.

Ao fim, cada um continuou a celebrar na data que considerava correta, até o Primeiro Concílio de Niceia, em 325 d.C..

O concílio convocado pelo imperador Constantino foi uma tentativa de unificar as normas e a tradição cristã, que havia sido feita religião oficial do Império Romano em 312 d.C..

O concílio decidiu que todos os cristãos deveriam celebrar a Páscoa na mesma data e que esta seria separada do Pesach.


Festa móvel

 

Um problema em separar a Páscoa do Pesach foi como calcular a data da festa com antecedência, já que a astronomia romana não era tão desenvolvida e a festa estava relacionada ao ciclo lunar.

O astrônomo Robert Cockcroft, da Universidade McMaster, no Canadá, explica que o problema foi resolvido ao se fixar "datas eclesiásticas", diferentes das datas astronômicas.

Fixou-se a Páscoa no primeiro domingo após a primeira lua cheia "eclesiástica" após o equinócio da primavera.

As datas "eclesiásticas" tendem a seguir o tempo lunar, mas excepcionalmente o Pesach e a Páscoa acabam sendo celebrados com uma distância maior.

"Se a lua cheia ocorrer durante o equinócio, os cálculos eclesiásticos tendem a forçar a próxima lua cheia para determinar a data da Páscoa", diz.


Julio e Gregório

 

A confusão para determinar a Páscoa ainda não ainda tinha chegado ao fim.

Até 1582, usava-se na Europa o calendário juliano (em honra a Júlio César), baseado no ano solar. "Contudo, o calendário juliano superestimava o ano solar em três dias, por quatro séculos", conta.

A contagem equivocada fez a Páscoa ser celebrada no verão europeu no século 16.

Em 1582, o papa Gregório 18 resolveu corrigir o erro e estabeleceu um novo calendário, o gregoriano, em uso até hoje.

Os dias do ano foram limitados a 365 (366 nos anos bissextos) e foram "extintos" dez dias na contagem.

Quem dormiu na noite do dia 4 de outubro de 1582 acordou na manha do dia 15 de outubro, oficialmente.

O calendário, no entanto, não foi seguido por todos. Cristãos ortodoxos continuaram a usar o calendário juliano.

Com tanta mudança, a Páscoa é hoje celebrada em datas diferentes por judeus, católicos e cristãos ortodoxos.

Primeiro americano a fazer transplante completo de rosto se casa.

Primeiro americano a fazer transplante completo de rosto se casa

Dallas Wiens casou-se com mulher que conheceu em grupo de apoio.
Casamento foi na mesma igreja palco do acidente que o desfigurou.

Do G1

Dallas Wiens, o primeiro americano a receber um transplante completo de rosto, casou-se neste sábado (30) em Fort Worth, no estado do Texas.
Wiens casou-se com Jamie Nash, uma vítima de queimaduras, que ele conheceu em um grupo de apoio a acidentados.
Wiens, hoje com 27 anos, recebeu seu transplante em março de 2012.
Ele teve o rosto desfigurado e queimado e ficou cego após tocar um fio de alta tensão quando pintava o prédio de igreja, em novembro de 2008.
O casamento acabou ocorrendo na própria igreja, a batista de Ridglea, onde Wiens sofreu o acidente. Mais de 150 pessoas assistiram.


Dallas Wiens e Jamie Nash comemoram durante sua festa de casamento neste sábado (30) no Texas (Foto: AP Photo/The Dallas Morning News, Ian C. Bates) 
Dallas Wiens e Jamie Nash comemoram durante sua festa de casamento neste sábado (30) no Texas (Foto: AP Photo/The Dallas Morning News, Ian C. Bates)
 
 
"Sou abençoado além da conta por você ter me escolhido, e te amo com todo meu coração", disse ele à noiva, segundo o jornal local "Dallas Morning News".
"Aconteceram coisas que eu não pensei que fossem possíveis para mim, e você as fez possíveis", disse ela ao noivo.
Jamie teve 70% do corpo queimados em um acidente de carro, mas se recuperou.


Dallas Wiens e Jamie Nash dançam durante seu casamento neste sábado (30) no Texas (Foto: AP Photo/The Dallas Morning News, Ian C. Bates) 
Dallas Wiens e Jamie Nash dançam durante seu casamento neste sábado (30) no Texas 
(Foto: AP Photo/The Dallas Morning News, Ian C. Bates)

Onda de frio mata trupe de pulgas amestradas na Alemanha.

Onda de frio mata trupe de pulgas amestradas na Alemanha

Duzentos insetos apareceram mortos durante transporte.
Feira conseguiu treinar 'substitutas' para espetáculo circense.

Da AP
 
 
A onda de frio que assola a Alemanha matou todas as cerca de 300 integrantes de uma trupe de pulgas amestradas, segundo Robert Birk, diretor do circo de pulgas.
Birk disse ter ficado chocado ao ver todas as suas pulgas mortas na caixa em que eram transportadas na última quarta-feira (27).
O circo conseguiu arranjar substitutas para cumprir com suas obrigações em uma feira ao ar livre na cidade de Mechernich-Kommern, no oeste do país.
Michael Faber, organizador da feira, disse à Associated Press que um especialista em insetos de uma universidade próxima conseguiu treinar 50 pulgas para participarem da primeira apresentação, marcada para este domingo (31).


Robert Birk e suas pulgas amestradas em foto de 2005 (Foto: AP) 
Robert Birk e uma de suas pulgas amestradas em foto de 2005 (Foto: AP)

Spa tailandês oferece 'peixe pedicure' e cobra R$ 50 por 30 minutos.

Spa tailandês oferece 'peixe pedicure' e cobra R$ 50 por 30 minutos

Técnica é popular em muitos países.
Peixes da espécie garra rufa comem a pele morta.

Do G1

Popular em muitos países, os peixes que fazem o trabalho de manicure e pedicure também são oferecidos em salões e spas de Bangcoc, na Tailândia.
A técnica consiste em colocar os pés ou as mãos em tanques com os pequenos peixes, da espécie garra rufa, que comem a pele morta.
O tratamento custa US$ 15 (R$ 30) por 15 minutos, US$ 20 (R$ 40) por 20 minutos ou US$ 25 (R$ 50) por 30 minutos.


Mulher coloca os pés em tanque com peixes que fazem o trabalho de pedicure (Foto: Akhtar Soomro/Reuters) 
Mulher coloca os pés em tanque com peixes que fazem o trabalho de pedicure 
(Foto: Akhtar Soomro/Reuters)

Estudo sugere que fumar logo após acordar aumenta risco de câncer.

Estudo sugere que fumar logo após acordar aumenta risco de câncer

Nível da substância NNAL aumenta de acordo com rapidez do 1º cigarro.
Espera de 30 minutos reduz índice; NNAL é associado a tumores.

Do G1, em São Paulo

Pessoas que fumam logo depois que acordam têm maior chance de contrair câncer de pulmão ou de boca, sugere um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Estadual da Pensilvânia, nos Estados Unidos.

Segundo a pesquisa, publicada nesta sexta-feira (29) no periódico “Cancer, Epidemiology, Biomarkers and Prevention”, quem consome cigarro imediatamente após acordar tem no sangue níveis mais elevados de NNAL, substância gerada quando o corpo humano processa o NNK, componente do tabaco que provocou câncer em diversos roedores em laboratório.
Esses níveis superam as taxas daqueles indivíduos fumantes que utilizam o cigarro pelos menos meia hora depois de acordar.

Índices de NNAL foram menores em indivíduos que
esperam pelo menos 30 minutos para fumar
depois de acordar (Foto: Reprodução / EPTV)
Mulher fumante tem mais chance de ter aneurisma cerebral (Foto: Reprodução / EPTV) Para obter os resultados, os cientistas utilizaram dados de 1.945 participantes, todos fumantes adultos que forneceram amostras de urina para análise do NNAL. Os participantes também deram informações sobre o hábito do fumo, incluindo quanto tempo eles normalmente levam para utilizar o primeiro cigarro do dia.
Com isso, os estudiosos descobriram que 32% dos entrevistados fumavam seu primeiro cigarro cinco minutos após acordar; 31% fumavam pela primeira vez entre 6 minutos e 30 minutos após o despertar; 18% fumavam pela primeira vez no dia entre 31 minutos e 60 minutos após acordar e 19% fumavam depois de mais de uma hora.

As taxas de NNAL no sangue dos participantes foram correlacionadas com a idade dos indivíduos, além de dados como quando ele começou a fumar, seu sexo e se residia com outro fumante em uma mesma casa.

Jovem morre em boate após cair de escada e quebrar porta de vidro em Carmo da Mata.

Jovem morre em boate após cair de escada e quebrar porta de vidro em Carmo da Mata


 
Erik Rizzatto
 
foto_31032013175141Um homem morreu na madrugada deste domingo (31) após cair de uma escadaria e atingir uma porta de vidro em uma boate em Carmo da Mata. Por volta das 2h da madrugada, Valério Thiago de Souza, que participava de uma festa com amigos no estabelecimento, tropeça na escadaria que dá acesso a saída da boate e cai em direção a porta de vidro. Com o impacto, a porta quebrou e estilhaços provocaram um corte profundo na axila direita do jovem. Assustados com a gravidade do ferimento, clientes acionaram a Polícia Militar e foi até o local junto com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).  A vítima chegou a ser socorrida e levada para o Hospital da Santa Casa da cidade, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. Na boate, a PM não encontrou nenhum responsável pela boate, que após o socorro da vítima fechou as portas. Agora, a polícia quer saber se o estabelecimento possui alvará de funcionamento e se a porta de vidro estava dentro das normas de segurança do local. O caso será investigado pela Polícia Civil da cidade.  A boate onde aconteceu a tragédia é chamada de Salão de Festas da Nininha, localizada na praça Presidente Vargas, no centro de Carmo da Mata. Segundo frequentadores, a boate tem duas portas que dão acesso às escadas, usadas tanto para entrada como para saída. Nem sempre, ambas funcionam. De toda forma, elas são pequenas e não comportariam um grande fluxo em caso de evacuação rápida. A casa de festas não tem isolamento acústico. O som normalmente é abafado fechando-se algumas janelas. A refrigeração é feita por ventiladores. Ainda de acordo com os frequentadores, é comum encontrar poças de bebida ao longo do salão em dias de grande movimento. A boate também não tem pisos antiderrapantes. Há apenas um corrimão nas escadas de acesso. O salão de festas não é adaptado para deficientes. Na cidade, ele é normalmente usado para shows e recepções como festas de casamento e aniversários. A reportagem tentou entrar em contato com os responsáveis pelo estabelecimento, mas nenhum representante foi localizado.
.
fonte: O tempo

O Facebook sabe muito mais a seu respeito do que você imagina.

O Facebook sabe muito mais a seu respeito do que você imagina



Facebook
O Facebook está empenhado na sua missão de se tornar a plataforma de publicidade mais eficaz do mundo virtual, e para isso tem mostrado que está fazendo o dever de casa e estudando muito bem seus usuários, até mesmo fora da rede social.


O jornal norte-americano The New York Times explica que a estratégia de publicidade segmentada da companhia de Mark Zuckerberg vai muito além das informações reveladas pelo próprio usuário no Facebook. Para que os anunciantes consigam atingir o público alvo de maneira eficiente, a rede social está buscando informações em fontes de dados externas para aprender mais sobre cada pessoa que utiliza sua plataforma. Dessa maneira, ela pretende fazer com que os usuários vejam apenas anúncios considerados relevantes para eles.
Para conseguir atingir sua meta e agradar aos anunciantes, no final do último mês o Facebook anunciou parcerias com quatro empresas que fazem o trabalho de coleta de dados comportamentais lucrativos, operações de loja de cartões de fidelização, lista de e-mails de clientes e monitoramento de visitas a sites. Essas empresas são: Acxiom, Datalogix, Epsilon e BlueKai.
As parcerias podem ajudar uma montadora a personalizar um anúncio para um usuário interessado em um carro novo, por exemplo, explica o jornal. "Nosso objetivo é melhorar a relevância dos anúncios que as pessoas veem no Facebook e a eficácia das campanhas de marketing", disse Gokul Rajaram, diretor de produto para anúncios no Facebook. 
Já para os usuários, essas mudanças no sistema de publicidade significam que eles não vão ver apenas propagandas baseadas no que eles "curtem" no Facebook, mas sim em suas tendências online e offline. Isso porque a empresa vai analisar o que eles gostam de comer, que tipo de roupa costumam usar, etc. 
A rede será capaz de saber, por exemplo, que, se o usuário usa o seu cartão de fidelidade do supermercado para comprar refrigerante, ele pode se deparar com um anúncio da Coca-Cola quando fizer login no Facebook. Mas é importante destacar que nenhuma informação de identificação sobre os usuários será compartilhada com os anunciantes, já que os nomes de usuário e e-mails do Facebook serão criptografados e protegidos. 

Duas cidades mineiras se destacam na formação de bispos e padres, Itapecerica é uma delas.

Duas cidades mineiras se destacam na formação de bispos e padres  

Em meio à busca por sacerdotes, as mineiras Itapecerica e Cipotânea se destacam pela formação de religiosos: em 190 anos, oito bispos e 92 padres nasceram nas cidades



Leonardo Augusto
Enviado Especial



Dom Sebastião Rabelo foi bispo auxiliar em BH e respondeu por paróquias de Leopoldina antes de voltar a Itapecerica: cidade incentiva vocação ( Euler Junior/EM/D.A Press)
Dom Sebastião Rabelo foi bispo auxiliar em BH e respondeu por paróquias de Leopoldina antes de voltar a Itapecerica: cidade incentiva vocação

Cipotânea e Itapecerica – 

A busca da Igreja Católica por mais padres no país e em Belo Horizonte soa estranha em dois pequenos municípios de Minas Gerais: Cipotânea, na Zona da Mata, e Itapecerica, na Região Centro-Oeste do estado, onde nasceram, nos últimos 190 anos, oito bispos e 92 padres. A última ordenação ocorreu em 2009 e tudo indica que outras virão. Quatro moradores de Itapecerica são seminaristas e outros quatro participam dos chamados encontros vocacionais, organizados pela igreja para diagnosticar a aptidão para o sacerdócio.

O número de bispos nascidos nas duas cidades impressiona. Minas Gerais conta apenas com 38 vagas para esse grau da hierarquia católica. Na função, os religiosos administram um conjunto de paróquias, as chamadas dioceses ou arquidioceses. Dos oito bispos, cinco são de Cipotânea, município de seis mil habitantes a 239 quilômetros de Belo Horizonte. José Micomedes Grossi e Hélio Gonçalves Heleno (ambos falecidos), que comandaram respectivamente as dioceses de Bom Jesus da Lapa (BA) e Caratinga. O irmão de Hélio, José Heleno, que trabalhava em Governador Valadares, onde se aposentou, Antonio Afonso de Miranda, também aposentado, que administrou as paróquias de Taubaté (SP), e Getúlio Teixeira Guimarães, bispo de Cornélio Procópio (PR).

Em Itapecerica, cidade de 22 mil habitantes a 170 quilômetros de Belo Horizonte, nasceram Antonio Carlos Mesquita, ex-bispo de Oliveira, já falecido, Gil Antonio Moreira, que está em Juiz de Fora, e Sebastião Roque Rabelo Mendes, que trabalhou como bispo auxiliar em Belo Horizonte e respondeu pelas paróquias de Leopoldina antes de se aposentar e retornar à cidade natal.

Tanto em Cipotânea como em Itapecerica a explicação dada por padres e fiéis para entender os motivos de tantos filhos das cidades se entregarem à vida religiosa é uma só: a fé. A crença em Deus, no entanto, tem fortes aliados terrenos. “A música litúrgica sempre foi muito valorizada aqui. É algo que produz um encantamento muito grande nas crianças”, diz Sebastião Roque, o dom Zicó, que mesmo aposentado celebra missas em Itapecerica. O bispo é um dos principais incentivadores de uma orquestra de crianças criada no município.

Fundada em 1739, a cidade, que pertence à diocese de Divinópolis, possui quatro igrejas somente na área urbana. A matriz, São Bento, Nossa Senhora das Mercês, São Francisco e Nossa Senhora do Rosário. Todas possuem um sistema de sinos acionado a cada quinze minutos que indicam a metade e as horas inteiras. A ida para a escola, o almoço e a volta para casa do trabalho na cidade podem perfeitamente ser coordenadas pelo som dos sinos. “Quando alguém morre, pelos badalos é possível saber se é um homem, uma mulher ou uma criança”, diz dom Zicó.

Incentivo familiar Há ainda um outro fator a que pode ser atribuída a formação de tantos padres. O incentivo das famílias com forte tradição religiosa que gostariam de ver um de seus integrantes como representante da Igreja Católica. “Meus pais são extremamente católicos e sempre foram muito atuantes na vida da Igreja”, diz Hedvan Richardson Souza Lucas, de 32 anos, nascido em Itapecerica, ordenado padre em 2009. O religioso trabalha em Perdigão, a 100 quilômetros da cidade em que nasceu. “Ainda vou exercer o sacerdócio lá. Tem um grupo de senhoras da cidade que só se confessam comigo”, conta o padre, que faz visitas constantes ao município onde nasceu. Hedvan é o mais recente itapecericano ordenado.

Em Cipotânea, fundada em 1711, há ainda uma outra explicação para que o município tenha se transformado em um berço de tantos bispos. A cidade pertence à arquidiocese de Mariana, onde fica um dos mais antigos seminários do Brasil. “Era onde muitos meninos iam estudar”, afirma o padre Rogério Venâncio Resende, da Igreja de São Caetano.

Um giro tanto por Cipotânea como por Itapecerica mostra que, ao menos por enquanto, não há qualquer indício de que a religião católica esteja perdendo força. As igrejas protestantes pentecostais, que vêm tomando fiéis do Vaticano em outros centros, mantêm um pequeno templo em Cipotânea e dois em Itapecerica.

Na cidade do Centro-Oeste de Minas, na segunda-feira da Semana Santa, mais de 600 pessoas participaram da chamada Procissão do Depósito, que relembra a prisão de Jesus Cristo. 



Reforço no estoque de hóstias


O padre de Itapecerica responsável pela Igreja Matriz de São Bento, monsenhor Pedro Gondim Ferreira, de 51 anos, afirma que pelo menos 80% dos 22 mil moradores da cidade são católicos. No início de 2013, a secretaria foi obrigada a aumentar a aquisição de hóstias. Até o final do ano passado, o volume comprado era de 12 mil, estoque que durava pouco mais de um mês. Hoje, para o mesmo período, são necessárias 15 mil hóstias. O produto, geralmente, é fabricado por irmãs de caridade.

Conforme o padre, que também nasceu em Itapecerica, contabilizando todas as igrejas da área urbana, pelo menos três mil pessoas comparecem às três missas de domingo. Somada a área rural, o número sobe para cinco mil. O município tem três padres. Em distritos em que não podem comparecer, a igreja designa fiéis para realizar a “celebração da palavra”, uma pequena cerimônia em que são lidos trechos da Bíblia.

Monsenhor Pedro, que teve o padre Hedvan como pupilo e coroinha, também acredita que a família pode ser um dos principais responsáveis pela entrada de jovens nos seminários, mas que isso pode mudar. “As pessoas tinham orgulho em ter um de seus integrante no clero. Hoje, porém, é muito grande o número de pessoas que moram sozinhas. Além disso, agora temos vários tipos de famílias na sociedade”, argumenta.

Porém, quase dois séculos depois da ordenação do primeiro padre itapecericano, Camilo de Faria, em 1823, outra prova de que a Igreja Católica segue como referência para a população da cidade é um dos atendimentos realizados por monsenhor Pedro recentemente. “A mulher veio me procurar e relatou um problema. Eu disse: ‘Deus vai te ajudar, mas você precisa de um médico’”. (LA)

quinta-feira, 28 de março de 2013

Há 20 anos, Senna vencia pela última vez no Brasil.

Há 20 anos, Senna vencia pela última vez no Brasil

Lucas Berredo
Senna no pódio em Interlagos 
Senna no pódio em Interlagos
 
 
“São Pedro é brasileiro e fuma Marlboro!”. Nenhuma frase foi tão precisa quanto a anedota do colunista José Simão na “Folha” para resumir a última vitória de Ayrton Senna no GP do Brasil, obtida num dia chuvoso em Interlagos, exatamente 20 anos atrás.
Naquele domingo, um roteiro desfavorável ao brasileiro, marcado por crise na McLaren e pelo amplo favoritismo das Williams, se transformou em consagração. Choveu em Interlagos, Prost errou e Senna pilotou como mestre e brilhou como estrategista, numa das maiores atuações – ao menos de acordo com o escritor – de sua carreira.
Em tempos nos quais a FIA não adotava uma política tão restritiva nas pistas, a McLaren de Senna se perdeu entre o povo que invadiu o asfalto de Interlagos. E, por mais que a vitória não tenha sido tão dramática quanto em 1991, nada mais justo que um gênio ser laureado por outro, como aconteceu no pódio em São Paulo, com Senna descendo do pódio para abraçar o titã Juan Manuel Fangio.

O cenário para o brasileiro em 1993, contudo, estava longe do ideal. Após uma fraca campanha no ano anterior, Senna se mostrava descontente com a falta de competitividade da McLaren em relação às Williams de Alain Prost e Damon Hill. Em Interlagos, o FW15 projetado por Patrick Head e Adrian Newey era ainda mais favorito graças à potência do motor Renault V10.
Nos bastidores, o clima era de tensão. O diretor da McLaren, Ron Dennis, queria convencer Senna a assinar um contrato de dois anos, enquanto o brasileiro, de olho numa vaga na Williams, ambicionava um acordo de curto prazo. No caso de Interlagos, Dennis havia desembolsado cerca de US$ 1 milhão de dólares para alinhar o tricampeão mundial no grid; McLaren e Ayrton sequer tinham um acordo para o campeonato inteiro.
A sexta-feira continuou em tom desolador. Ao final do primeiro treino classificatório, Senna concluiu que seria “inviável” tirar a diferença de quase 2s para Prost. Sua meta era alcançar um terceiro lugar na classificação, no máximo, para ter chances de escalar o pelotão no domingo e arrancar um pódio.
Para se ter uma ideia da supremacia de Grove, Prost só usou apenas um dos jogos de pneus que tinha direito no treino oficial para cravar a melhor volta na sexta-feira.
No sábado, as expectativas se confirmaram. Prost melhorou seu tempo em quase um segundo e registrou 1min15s866 no melhor giro, obtendo sua 22ª pole da carreira e a segunda no Brasil – havia marcado uma em Jacarepaguá, em 1982.


Largada do GP do Brasil em 1993 (Foto: Divulgação)
Largada do GP do Brasil em 1993 (Foto: Divulgação)


Senna, como esperado, manteve o terceiro lugar, embora tenha evoluído também um segundo em relação à sexta-feira, com 1min17s697. Hill largaria ao lado de Prost e a revelação Michael Schumacher partiria na mesma fila de Senna, com Michael Andretti, da McLaren, e Riccardo Patrese, da Benetton, completando a relação dos seis primeiros.
Os outros dois brasileiros da categoria, de acordo com seus equipamentos, também foram relativamente bem. Rubens Barrichello, da Jordan, se manteve boa parte da sessão entre os dez primeiros, mas caiu para 14º no fim, ainda assim superando o colega de equipe Ivan Capelli. Já Christian Fittipaldi bateu Fabrizio Barbazza por 0s5 com o pouco competitivo M196-Ford da Minardi e se garantiu na 20ª colocação.
A meteorologia no dia do páreo, contudo, reservou surpresas. Prost, como sabemos, odiava chuva, ao contrário do antagonista. E naquele dia, o tempo ficou ao lado do brasileiro.
Na largada, Prost saiu na frente, enquanto Senna ultrapassou Hill e tomou a vice-liderança. Andretti se estranhou com Gerhard Berger, da Ferrari, os dois abandonaram e, ao fim da volta de abertura, Prost, Senna, Hill, Schumacher e Patrese encabeçavam o pelotão. A prova de Patrese, porém, durou pouco tempo em razão de um problema na suspensão.
Nos primeiros giros, sob piso seco, Senna perdeu contato com Prost e passou a tomar calor de Hill, que o superou facilmente na 11ª volta. O brasileiro ainda foi prejudicado por um drive-through por ultrapassar Érik Comas, da Larrousse, sob bandeira amarela e caiu para quarto. Na frente, o francês já colocava mais de 8s para o restante do pelotão.
Foi aí que caiu um temporal e o jogo virou. Todo mundo se encaminhou aos boxes, e Senna, entre os líderes, foi o mais esperto e parou na 26ª volta, imediatamente após a queda d’água. Hill veio em seguida.
Prost, mesmo sem perder a liderança, se deu mal. O francês não entendeu uma ordem via rádio do engenheiro da Williams para entrar no box e permaneceu na pista, quase sem nenhuma aderência nos pneus. No fim da reta dos boxes, finalmente pagou o preço: perdeu o controle do FW15C e o espatifou contra o Minardi de Christian Fittipaldi. Fim de prova para o tetracampeão.
Após a primeira incursão do carro-madrinha na história da F1, as diferenças entre Hill, o novo líder, e Senna, à frente de Schumacher graças ao trabalho do pit, ficaram zeradas. Na sequência, o brasileiro, além de velocidade, demonstrou senso tático: primeiro, deixou para trás o retardatário Derek Warwick, da Footwork; depois, novamente parou antes de todo mundo para colocar pneus lisos quando da secagem da pista.
Mais rápido que Hill, ainda com compostos para chuva, Senna passou pela Williams no Laranjinha na 42ª volta. Em seguida, disparou na ponta, cruzando a linha de chegada a 16s6 do britânico.
Schumacher, com a Benetton, encerrou em terceiro, seguido das Lotus de Johnny Herbert e Alessandro Zanardi, separadas por Mark Blundell, da Ligier.
Assim, mesmo desacreditado, Senna obteve sua 37ª vitória da carreira e assumiu a liderança do campeonato, com 16 pontos. De quebra, deu à McLaren seu 100º triunfo na F1, o primeiro após a saída da Honda. “A criatividade é uma coisa que me estimula muito”, disse o brasileiro, definindo de forma precisa como foi aquela que seria sua última vitória em solo natal.


Pódio do GP do Brasil em 1993 (Foto: Divulgação)
Pódio do GP do Brasil em 1993 (Foto: Divulgação)


GP do Brasil de 1993 – resultado final:
1º. Ayrton Senna (BRA/McLaren-Ford) 71 voltas em 1h51min15s485
2º. Damon Hill (ING/Williams-Renault) a 16s625
3º. Michael Schumacher (ALE/Benetton-Ford) a 45s436
4º. Johnny Herbert (ING/Lotus-Ford) a 46s557
5º. Mark Blundell (ING/Ligier-Renault) a 52s127
6º. Alessandro Zanardi (ITA/Lotus-Ford) a 1 volta
7º. Philippe Alliot (FRA/Larrousse-Lamborghini) a 1 volta
8º. Jean Alesi (FRA/Ferrari) a 1 volta
9º. Derek Warwick (ING/Footwork-Mugen Honda) a 2 voltas
10º. Érik Comas (FRA/Larrousse-Lamborghini) a 2 voltas
11º. Michele Alboreto (ITA/Scuderia Italia Lola-Ferrari) a 3 voltas
12º. Luca Badoer (ITA/Scuderia Italia Lola-Ferrari) a 3 voltas




Abandonaram:

Karl Wendlinger (AUT/Sauber-Ilmor) na volta 62 (motor)

J. J. Lehto (FIN/Sauber-Ilmor) na volta 53 (pane elétrica)

Andrea de Cesaris (ITA/Tyrrell-Yamaha) na volta 49 (combustível)

Alain Prost (FRA/Williams-Renault) na volta 30 (colisão)

Christian Fittipaldi (BRA/Minardi-Ford) na volta 29 (colisão)

Aguri Suzuki (JAP/Footwork-Mugen Honda) na volta 28 (acidente)

Ukyo Katayama (JAP/Tyrrell-Yamaha) na volta 27 (acidente)

Rubens Barrichello (BRA/Jordan-Hart) na volta 14 (câmbio)

Riccardo Patrese (ITA/Benetton-Ford) na volta 4 (suspensão)

Michael Andretti (EUA/McLaren-Ford) na volta 1 (colisão)

Gerhard Berger (AUT/Ferrari) na volta 1 (colisão)

Martin Brundle (ING/Ligier-Renault) na volta 1 (colisão)

Fabrizio Barbazza (ITA/Minardi-Ford) na volta 1 (colisão)




Não largou:

Ivan Capelli (ITA/Jordan-Hart) não se classificou

Família de moradores de rua causa mobilização nas redes sociais.

Família de moradores de rua causa mobilização nas redes sociais

Imagem da família foi compartilhada milhares de vezes pelas redes sociais.
Família foi morar na rua em São Vicente após falsa proposta de trabalho.

Alexandre Lopes e Mariane Rossi Do G1

Casal enganado (Foto: Claudete/Arquivo Pessoal) 
História da família foi parar nas redes sociais (Foto: Claudete Sachi / Arquivo Pessoal)
 
 
Uma imagem de uma família encontrada morando debaixo da Ponte Pênsil, em São Vicente, no litoral de São Paulo, ganhou destaque nas redes sociais durante as últimas horas. A história da família, composta por um homem de 20 anos, a esposa de 21 e uma criança de apenas dois, foi compartilhada mais de 12 mil vezes em apenas 18 horas. Com a repercussão do caso, dezenas de internautas compararam a história ao caso do 'Mendigo Gato de Curitiba'
Segundo a advogada Claudete Sachi, que tirou uma foto da família e contou a história nas redes sociais, Anderson, Sabrina e o filho Sérgio moravam em São Paulo e tiveram uma proposta de emprego na Baixada Santista, que acabou não se concretizando. "O dono de um restaurante acabou me contando sobre a família. Ele estava passeando com o cachorro e acabou preparando comida e dando para eles. Resolvi ir até o local e conversar com eles. Eles contaram que a proposta não deu em nada e, por isso, acabaram ficando na rua", conta.
De acordo com Claudete, além das condições precárias de sobrevivência, a família aguarda mais um bebê, já que Sabrina está grávida de oito meses. Exatamente por isso, a advogada resolveu se mobilizar para ajudar o casal. "Com a foto na rede social conseguimos levantar algum dinheiro e eles foram dormir em uma pousada. Além disso, o dono do restaurante prometeu dar trabalho para ele como lavador de pratos. Isso enquanto ele não arruma alguma coisa melhor", explica.
Poucas horas após a divulgação da história, Claudete conta ter recebido dezenas de ligações de pessoas de várias partes do Brasil querendo ajudar a família. "As pessoas oferecem casa, comida e roupa. Chegaram até a oferecer moradia e trabalho. Hoje vamos conversar com a família para ver como proceder daqui pra frente", finaliza.


Comparações

Com os milhares de compartilhamentos nas redes sociais, vários internautas chegaram a comparar a história da família com o drama de Rafael Nunes, conhecido como "Mendigo Gato de Curitiba", que ganhou grande repercussão após uma foto dele ser publicada em uma rede social, quando ele ainda morava nas ruas. De acordo com o relato da mulher que o fotografou e postou a foto em uma rede social, Rafael a viu com a máquina fotográfica e pediu para que tirasse uma foto dele, pois queria ficar famoso “na rádio”. Dias depois da publicação da foto, descobriu-se que Rafael era um ex-modelo que tinha se afundado nas drogas e vivia nas ruas do centro de Curitiba (PR) há um ano. A família, que não tinha notícias do jovem há tempos, se mobilizou para buscar um novo tratamento, e Rafael foi encaminhado à clínica de Araçoiaba.

Estupro e assassinato de jovem chocam Equador.

Estupro e assassinato de jovem chocam Equador

 
 
Karina Del Pozo/Arquivo pessoal 
Karina del Pozo foi estuprada e mortaKarina del Pozo foi estuprada e morta
O brutal estupro e assassinato de uma jovem de 20 anos chocou o Equador e chamou a atenção sobre o problema da violência contra a mulher no país.

O corpo de Karina del Pozo foi encontrado com sinais de golpes na cabeça e de estrangulamento após uma busca de vários dias realizada por seus familiares.

Cinco jovens que participaram de um evento social com Karina na noite do crime estão presos. Segundo depoimentos prestados às autoridades e vazados para a imprensa, acredita-se que três deles tivessem ligação direta com o crime.

O jornal equatoriano El Universal diz que um dos acusados, identificado como Geovanny P., teria dito a seus amigos ''querem ver como se mata uma prostituta?'' e, em seguida, começado a golpear a cabeça da jovem.

O caso teve ampla repercussão, entre outros motivos, por sua ampla difusão pelas redes sociais do país. A família de Karina del Pozo, morta em Quito no dia 20 de fevereiro, tem organizado várias passeatas desde sua morte como forma de protesto e conscientização para o problema da violência contra a mulher no país.

José Luis del Pozo, primo de Karina, acredita que a divulgação do caso pelas redes sociais e pelos meios de comunicação do país foram importantes para chamar a atenção sobre o problema.

''Acreditamos que este caso padrão servirá para que venham à tona outros casos que estão arquivados'', disse, em entrevista à BBC.

Muitos familiares de outras mulheres assassinadas no país aderiram às manifestações; outras estão sendo planejadas para os próximos dias.

Figurantes ganham R$ 20 para gritar por Tom Cruise no Rio.

Figurantes ganham R$ 20 para gritar por Tom Cruise no Rio




Uma cena chamou atenção de Glamurama na pré-estreia carioca de “Oblivion”, com Tom Cruise. Uma multidão enlouquecida gritava pelo ator, grudada às grades em volta do tapete vermelho. Como fez em todas as outras vezes que veio ao Rio, o ator foi falar com dezenas de fãs, tirar foto, ganhar abraço. Um show de simpatia, mas…
No final da première a gente notou uma fila quilométrica na calçada em frente e foi ver o que era. “Fomos contratados para vir para cá. A gente ganha R$ 20 mais um ingresso de cinema e eles ficam com a nossa carteira de identidade para não irmos embora antes da hora. Vamos pegar o documento de volta agora e receber o dinheiro”, nos disse um dos “fãs”. Outros quatro confirmaram a história. Não se fazem mais tietes como antigamente…


Fãs de verdade, mas com R$ 20 no bolso

Aviões dos EUA fazem manobras militares na Coreia do Sul.

Aviões dos EUA fazem manobras militares na Coreia do Sul

Bombardeiros B-2 Spirit vindos do Missouri atiraram munições artificiais.
Manobras ocorrem em meio a crescente tensão com a Coreia do Norte.

Do G1

Dois bombardeiros furtivos B-2 americanos com capacidade nuclear realizaram uma missão de treinamento nesta quinta-feira (28) sobre a Coreia do Sul em um contexto de fortes tensões dos dois aliados com o regime da Coreia do Norte, anunciou o exército dos Estados Unidos.

Os dois bombardeiros B-2 Spirit, que partiram da Base Whiteman da Força Aérea do Missouri (Estados Unidos, centro), lançaram munições artificiais contra um alvo no território sul-coreano, segundo um comunicado das forças-americanas mobilizadas na Coreia do Sul.


Uma aeronave fantasma americana B-2 Spirit (esq.) voa ao lado de um jato sobre Pyeongtaek, ao sul de Seul, na Coreia do Sul. A aeronave militar teria participado de uma simulação em que bombardeou um alvo,segundo uma fonte militar. (Foto: Reuters/Sin Young-keun/Yomhap) 
 Uma aeronave fantasma americana B-2 Spirit (esq.) voa ao lado de um jato sobre Pyeongtaek, ao sul de Seul, na Coreia do Sul (Foto: Reuters/Sin Young-keun/Yomhap)
 
 
Aeronaves dos EUA fazem exercício militar na Coreia do Sul (Foto: Sin Young-keun/Reuters) 
Aeronaves dos EUA fazem exercício militar na Coreia do Sul (Foto: Sin Young-keun/Reuters)
 
 
Este voo, realizado no âmbito de importantes exercícios conjuntos organizados todos os anos entre as forças norte-americanas e sul-coreanas, "demonstra a capacidade dos Estados Unidos para realizar ataques a grandes distâncias, rápidos e quando quiser", disse um comunicado.
Espera-se que este anúncio provoque uma forte reação de Pyongyang, que recentemente ameaçou os Estados Unidos com ataques contra seu território continental ou suas ilhas de Guam e Havaí, em resposta aos voos de treinamento dos B-52 sobre a Coreia do Sul.
Desde o início de março e a adoção de novas sanções da ONU contra Pyongyang, a Coreia do Norte aumentou ainda mais sua retórica belicista, ameaçando regularmente a Coreia do Sul e seu aliado, os Estados Unidos, com ataques estratégicos e uma guerra total, apesar de analistas duvidarem do poderio ofensivo do regime.

Xixi vira 'joystick' em game instalado em urinol nos EUA.

Xixi vira 'joystick' em game instalado em urinol nos EUA

Para controlar o jogo, usuário tem que urinar para esquerda ou direita.
Dispositivo foi instalado em parque em Allentown, no estado da Pensilvânia.

Do G1

Um parque em Allentown, no estado da Pensilvânia (EUA), instalou um urinol que vem com uma tela em que o usuário pode jogar enquanto está no banheiro. A tela de vídeo aparece em cima do mictório. Quando a pessoa se aproxima, o dispositivo sente a presença e muda para o modo de jogo. Para controlar o jogo, o usuário tem que urinar para esquerda ou direita.

 
Para controlar o jogo, usuário tem que urinar para esquerda ou direita (Foto: Lehigh Valley IronPigs/AP) Para controlar o jogo, usuário tem que urinar para esquerda ou direita 
(Foto: Lehigh Valley IronPigs/AP)

Fotógrafo clica torres de celular 'vestidas' de árvores na África do Sul.

Fotógrafo clica torres de celular 'vestidas' de árvores na África do Sul

Dillon Marsh registrou 12 imagens na Cidade do Cabo e arredores.
Solução para poluição visual surgiu em 1996 e se espalhou pelo mundo.

Do G1

Torre de celular é disfarçada como árvore na África do Sul (Foto: Dillon Marsh/Divulgação) 
Torre de celular 'vira' árvore para reduzir a poluição visual na África do Sul 
(Foto: Dillon Marsh/Divulgação)


Um fotógrafo sul-africano registrou 12 imagens de torres de celular disfarçadas de árvores na Cidade do Cabo e arredores. Segundo o autor, Dillon Marsh, a série de imagens "Invasive Species" (Espécies Invasoras) explora a relação entre essas estruturas modernas e o meio ambiente.

O projeto fotográfico durou seis meses e foi concluído em 2009, segundo o site da revista americana "Wired".
A primeira "palmeira" a surgir da noite para o dia na região foi feita de plásticos não tóxicos e instalada em 1996, num subúrbio da Cidade do Cabo, a segunda maior da África do Sul. Essa foi a solução encontrada pela empresa de comunicação móvel Vodacom para diminuir a poluição visual. Desde então, essas "plantas" se espalharam por todo o país e também pelo mundo.
Marsh acredita que seu trabalho pode servir para as pessoas meditarem sobre as estranhas variações de design entre uma "árvore telefônica" e outra – criadas para se esconderem na paisagem, mas responsáveis por chamar ainda mais a atenção de quem passa.
"Vestir" uma torre de celular com folhas de plástico pode custar até R$ 300 mil, quatro vezes o valor de um mastro normal. Mas Marsh duvida que realmente haja necessidade de uma camuflagem high-tech para essas construções. Segundo ele, mesmo que a intenção seja boa, em muitos casos o resultado parece "desajeitado e pouco convincente", e a maioria das pessoas é atraída pela curiosidade, e não por um sentimento positivo ou negativo.
Para ver outros registros da série Espécies Invasoras e novos trabalhos do fotógrafo, visite o site dele.


Torre de celular se camufla em meio a outras árvores na Cidade do Cabo (Foto: Dillon Marsh/Divulgação) 
Torre de celular se camufla em meio a outras árvores na Cidade do Cabo 
(Foto: Dillon Marsh/Divulgação)
 
 
Com design diferente, torre se destaca atrás de casa na África do Sul  (Foto: Dillon Marsh/Divulgação) 
Com design diferente, torre se destaca atrás de casa na África do Sul 
(Foto: Dillon Marsh/Divulgação)
 
 
Mais uma 'espécie' tenta se esconder, mas atrai a atenção na Cidade do Cabo (Foto: Dillon Marsh/Divulgação) 
Mais uma 'espécie' tenta se esconder, mas atrai atenção na Cidade do Cabo 
(Foto: Dillon Marsh/Divulgação)

Ovos eróticos são alternativa para namorados.

Ovos eróticos são alternativa para presentear namorada na Páscoa

Lojas de Santos comemoram aumento de mais de 30% nas vendas.
Coelhos, ovos e fantasias eróticas são destaque nas lojas especializadas.

Do G1


Produtos com formatos ovais são os que mais são vendidos no período de Páscoa (Foto: Silvio Muniz/G1) 
Produtos com formatos ovais são os que mais são vendidos no período de Páscoa 
(Foto: Silvio Muniz/G1)
 
 
Enquanto algumas pessoas aproveitam a Páscoa para presentear familiares e amigos com chocolates, outras usam a data para apimentar a relação. Em um sexshop de Santosx, no litoral de São Paulo, a Páscoa rendeu um aumento de 30% nas vendas. Entre os produtos mais procurados estão lingeries, coelhos e ovos com apelo sexual.
As vendas na sex shop de Patricia Matos Petroli cresceram em março impulsionadas pela proximidade da data. “Nos anos anteriores as pessoas procuravam minha loja em busca de produtos relacionados à Páscoa. Eu apresentava alguns, sugeria aromas, velas, brinquedos eróticos. Tudo que tem formato de ovo sai mais nessa época. Só não tinha muitas fantasias e eu acabava indicando lojas de festas, que também vendem roupas. Nesse ano temos bem mais produtos em estoque, porque a procura aumenta”, conta a comerciante.

Segundo Patricia, as vendas no mês aumentaram cerca de 30%. Entre os produtos mais vendidos estão masturbadores camuflados de ovo de galinha, vibradores de 'coelho' e fantasias de coelho. “Os clientes geralmente compram mais de um item. A gente monta cestas com vários produtos e entregamos”, conta.


Fantasias de coelhinha e chocolates em formatos
eróticos são os que mas saem nesta época do ano
(Foto: Silvio Muniz/G1)
Fantasias de coelhinha e chocolates em formatos fálicos são os que mas saem nesta época do ano  (Foto: Silvio Muniz/G1) Mesmo com a facilidade da entrega, Patricia explica que os clientes preferem ir até a loja para escolher os produtos. “Antes eu fazia catálogos, achando que as pessoas teriam vergonha de entrar em um sexshop, mas desde que eu abri a loja as venda aumentaram 300%. Aqui eu explico como funcionam os produtos, as pessoas sentem os aromas, descobrem como usar”, explica.
Chocolates
Daniela Cardoso faz trufas durante o ano todo, mas é na Páscoa que suas vendas aumentam com pedidos de ovos e de chocolates com formatos eróticos. “As pessoas me perguntavam se eu fazia chocolate em forma de pênis. Um dia conversando com a Patricia perguntei se interessava e ela começou a fazer os pedidos. Faz um ano que vendo esses produtos para ela. No ano passado vendi mais chocolate erótico do que ovos de páscoa”, conta.

Os pedidos partem de pessoas com intenções variadas, como aqueles que só querem tirar sarro dos amigos e de pessoas que querem apimentar o relacionamento. “Alguns chocolates são recheados com licor ou com leite condensado e, conforme a pessoa morde, o líquido vai saindo”, explica Daniela.

As venda pela internet também aumentaram para Tatianna Conceição Cardoso, que vende seus produtos por meio da rede social Facebook. “No último mês as vendas aumentaram cerca de 50%. Já os produtos com sabor e aroma de chocolate tiveram aumento de 200%”, conta a vendedora.

Tatianna conta que nesse período calcinhas que vão embaladas em formato de bombom, gel aromatizante e velas comestíveis são as que mais vendem. As encomendas de chocolates em formatos eróticos viram uma brincadeira à parte na data. A procura por produtos com esse tema leva grupos a se juntarem para se presentearem. Um grupo de uma empresa em Santos, por exemplo, fez uma das maiores encomendas de chocolates para Patricia, que irá entregar na primeira leva cerca de 20 chocolates em diferentes formatos.


Vendas aumentam cerca de 30% na sex shop de Patricia, que tem loja em Santos (Foto: Silvio Muniz/G1) 
Vendas aumentaram cerca de 30% na sexshop de Patricia, que tem loja em Santos 
(Foto: Silvio Muniz/G1)

Artistas de rua 'levitam' nas ruas da Itália.

Artistas de rua exibem truque de levitação na Itália

Homem parece erguer outro artista apenas com haste de madeira.
Foto foi registrada em Roma pelo fotógrafo Andreas Solar.

Do G1

Vestidos com roupas e turbantes laranjas, artistas de rua simulam levitação nas ruas de Roma, na Itália (Foto: Andreas Solar/AFP) 
Vestidos com roupas e turbantes laranjas, artistas de rua simulam levitação nas ruas de Roma, na Itália (Foto: Andreas Solar/AFP)
 
 
Por meio de truque, artista parece segurar homem com apenas uma haste de madeira (Foto: Andreas Solar/AFP) 
Por meio de truque, artista parece segurar homem com apenas uma haste de madeira 
(Foto: Andreas Solar/AFP)

quarta-feira, 27 de março de 2013

Organização antispam sofre maior ataque cibernético da história.

Organização antispam sofre maior ataque cibernético da história

Bloqueio começou quando Spamhaus bloqueou provedor holandês.
Volume de tráfego estaria chegando a 300 Gbps.

Altieres Rohr Especial para o G1

 
 

A organização antispam Spamhaus sofre uma sobrecarga de tentativas de acesso a seus servidores desde o dia 18 de março, com o objetivo de tirar do ar seu site e o serviço de bloqueio de spam (lixo eletrônico). O volume de tráfego de dados foi considerado o maior ataque de negação de serviço da história.

Conforme informou o jornal "The New York Times" nesta quarta-feira (27), com base em informações da CloudFare, empresa que mantém um serviço de proteção contra esses ataques, a sobrecarga de tentativas de acesso apresentou um volume médio de tráfego de 75 Gbps e atingiu um pico de 300 gigabits por segundo (Gbps). Com 300 Gbps é possível transferir 37 filmes com qualidade DVD ou 55 CDs de música, em qualidade total, em apenas um segundo pela internet.

Um ataque de negação de serviço não representa uma "invasão" do sistema atacado, mas busca sobrecarregar a conexão com a internet do alvo, de modo que ele não consiga permanecer on-line. É como lotar todas as mesas de um restaurante ou ocupar todas as linhas telefônica de um callcenter para que clientes de verdade não possam ser atendidos.
Os ataques começaram no dia 18 de março depois que a Spamhaus bloqueou o provedor holandês "Cyberbunker". O provedor promete hospedar qualquer conteúdo que não seja pedofilia e terrorismo. Segundo a Spamhaus, os serviços do Cyberbunker estariam sendo usados por spammers para enviar e-mails indesejados a milhões de pessoas na internet.

De acordo com a BBC, autoridades policiais em cinco países estão investigando os ataques.
A lista da Spamhaus é confiada por muitos provedores de internet para diminuir o spam recebido por seus usuários.  A inclusão do Cyberbunker à lista da Spamhaus imediatamente bloqueou os e-mails enviados pela rede do provedor holandês, impedindo que as mensagens chegassem aos destinatários. Ao "New York Times", um ativista que supostamente representa a empresa e os ataques teria dito que o Spamhaus "abusou de sua influência" ao bloquear o provedor.
O Cyberbunker está localizado em um antigo bunker usado pelas forças da OTAN. Para aumentar as vendas, a empresa diz em seu site já ter impedido a entrada de policiais no prédio.


Amplificação dos ataques

Para realizar o ataque de 300 Gbps (300 mil megabits por segundo), seriam necessárias 300 mil conexões de banda larga, normalmente restritas a 1 Mbps de envio de dados (upload), mesmo quando a velocidade de download é maior. Uma alternativa seria o uso de servidores, que possuem conexões de 100 Mbps ou até de 1 Gbps. No entanto, o ataque seria facilmente barrado.
Em vez disso, os criminosos usaram uma técnica conhecida como DRDoS ou "ataque de negação de serviço refletido". Nesse ataque, o hacker envia uma solicitação pequena, mas que gerará uma resposta grande, e falsifica a origem da solicitação para ter o endereço alvo. Isso significa que a resposta, com um volume maior, será enviada para o site vítima do ataque.
Usando essa técnica, os hackers conseguiram amplificar uma solicitação de 36 bytes para gerar uma resposta de 3 mil bytes, amplificando a capacidade de conexão deles em cem vezes.
Para realizar o esse tipo de ataque é preciso encontrar servidores configurados de forma incorreta, conhecidos pelo termo técnico de "DNS recursivo aberto". Um total de 30 mil servidores foi usado no ataque, o que exigiu uma conexão de 2,5 Mbps a 10 Mbps - velocidades baixas que não chegam a alertar administradores de sistema para o problema - de cada servidor, segundo a explicação da CloudFlare.

Problemas no Engenhão ‘arranham’ imagem do Brasil.

Problemas no Engenhão ‘arranham’ imagem do Brasil, dizem analistas



Interdição de estádio danifica imagem do Brasil antes de eventos esportivos internacionais.
Engenhao | Foto: Agência BrasilOs problemas estruturais que levaram à interdição do Estádio Olímpico João Havelange, o Engenhão, na última terça-feira, “arranham” a imagem internacional do Brasil e levantam dúvidas sobre a preparação do país para receber a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos de 2016, na opinião de analistas e observadores ouvidos pela BBC Brasil.
Em uma coletiva de imprensa na noite de terça-feira, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, anunciou o fechamento da arena por tempo indeterminado devido a problemas estruturais na cobertura, algo que poderia colocar o público em risco.
Inaugurado em 2007 para os Jogos Panamericanos, o estádio, que fica no bairro do Engenho de Dentro, na zona norte do Rio, vinha sendo palco de partidas do campeonato carioca de futebol e receberá as competições de atletismo da Olimpíada de 2016.
"Há um abalo de imagem que é indiscutível", diz Amir Somoggi, consultor independente de marketing esportivo.
"É muito triste que a tão pouco tempo da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos nós tenhamos que explicar como uma obra nova apresenta problemas estruturais tão graves", afirma Somoggi.


Lição de casa

A construção do Engenhão teve início em 2003, a cargo da construtora Delta. A empreiteira, no entanto, acabou abandonando a obra, que foi assumida então por um consórcio entre as construtoras OAS e Odebrecht. Com a mudança, qualquer problema relacionado ao projeto do estádio passou a ser de responsabilidade da prefeitura.
De acordo com Somoggi, os custos para a construção do estádio são compatíveis com o de arenas do tipo em outras partes do mundo, e a existência de problemas pode levantar desconfiança sobre a capacidade de planejamento dos responsáveis por receber os grandes eventos esportivos.
"Você tem um estádio que custou quase R$ 400 milhões, um valor dentro do que se gasta pelo mundo. (Mas é) um estádio que tem problemas estruturais graves, significa que nós não estamos fazendo a nossa lição de casa", diz.
Para Pedro Daniel, executivo de gestão esportiva da consultoria BDO, ainda é preciso saber as causas dos problemas apresentados, mas, segundo ele, é possível que as falhas no Engenhão gerem um desconforto entre patrocinadores e acabem tendo impacto em negociações de contratos e naming rights (direitos de dar nome ao estádio). "Que empresa vai querer atrelar sua marca a um lugar com risco?", diz.
Em entrevista coletiva nesta quarta-feira, engenheiros do consórcio responsável pelo estádio afirmaram que o prazo para identificar a razão do problema e encontrar uma solução deve ser superior a 30 dias, não havendo previsão para reabertura da arena.


Impacto internacional

A interdição do Engenhão acontece em um momento em que as atenções internacionais estão cada vez mais voltadas para o Brasil, com a aproximação da Copa das Confederações, que acontece em junho, e da Copa do Mundo de 2014.
"Se o Brasil não estivesse sediando os eventos, eu acho que esse tipo de história iria passar despercebida" diz Tim Vickery, correspondente esportivo da BBC no Rio de Janeiro.
"A coisa tomou uma dimensão internacional justamente porque o Brasil está sediando os megaeventos. O fato de que o Engenhão vai sediar o atletismo dos Jogos dá uma dimensão enorme à notícia", diz o jornalista.
Segundo ele, até a terça-feira, havia uma preocupação principalmente com relação à mobilidade urbana durante os Jogos Olímpicos, mas o caso do Engenhão também gera dúvidas sobre a qualidade das instalações que receberão as competições.


Imagem e confiança

O consultor Amir Somoggi concorda e afirma que casos como esse "arranham" a imagem do país ao evidenciar o que classifica como "falta de planejamento, visão e controle de custo"
"O mundo olha para o Brasil - porque o Brasil é o centro das atenções esportivas - e não gosta muito do que vê", diz.
Procurado pela BBC Brasil para comentar o caso, o Comitê Olímpico Internacional disse por meio de nota que está em "contato regular" com a organização dos Jogos do Rio de 2016 e afirmou ter "confiança absoluta" na preparação do país.
"Ainda faltam mais de três anos e meio para os Jogos, e temos confiança absoluta de que eles acontecerão", diz a nota.
Já o Comitê Organizador dos Jogos no Brasil afirmou, também por meio de nota, ter "plena confiança de que a prefeitura do Rio de Janeiro tomará as medidas necessárias para que o Estádio Olímpico esteja pronto para os Jogos".